em

SMS mobiliza servidores para Marcha pelo SUS

No dia 1º de dezembro, em Brasília, movimento Todos pela Saúde vai pedir mais recursos para a Saúde O secretário municipal de Saúde, Fernando Machado, reúne nesta quarta-feira, 18, às 14h30, na Escola Municipal de Saúde Pública, os sete distritos sanitários de saúde para mobilizar os servidores da área a participarem da Marcha pelo SUS. O […]

No dia 1º de dezembro, em Brasília, movimento Todos pela Saúde vai pedir mais recursos para a Saúde

SMS mobiliza servidores para Marcha pelo SUS (2)

O secretário municipal de Saúde, Fernando Machado, reúne nesta quarta-feira, 18, às 14h30, na Escola Municipal de Saúde Pública, os sete distritos sanitários de saúde para mobilizar os servidores da área a participarem da Marcha pelo SUS. O ato acontecerá em Brasília no dia 1º de dezembro durante a abertura da 15ª Conferência Nacional de Saúde. Ação faz parte do Movimento Todos pela Saúde, lançado em Goiânia no dia 11 de novembro, e pretende levar 10 mil goianos à capital federal.

Caravanas de ônibus vão sair da capital e dos 245 municípios goianos para a Marcha, que  tem o desafio de sensibilizar o Congresso Nacional a votar a PEC 01/2015. O Projeto de Emenda Constitucional aumentaria, na prática, os valores aplicados pela União no setor de Saúde. Os integrantes da “Marcha Nacional em Defesa da Saúde do Brasil, da Saúde do Povo Brasileiro, da Democracia e do SUS” também vão pedir a suspensão do corte de R$ 16 bilhões no orçamento do Sistema Único de Saúde (SUS), anunciado para 2016 pelo Governo Federal.

Fernando Machado, que também é vice-presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), explica que não se trata de um movimento contra os governos e que o interesse de todos é sensibilizar a União, a Câmara dos Deputados e o Senado Federal sobre a necessidade de investir mais no SUS e suspender os cortes de orçamento. “O governo pode adiar uma obra, por exemplo, mas é impossível adiar o atendimento a um renal crônico, a um acidentado ou a um doente. No SUS, tudo é para ontem. Trabalhamos com vidas”, diz ele.

Atualmente, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) faz cerca de 1,5 milhão de atendimentos por mês e vem sofrendo impacto em todas as áreas de atendimento com os cortes que já vinham sendo feitos, como o de R$ 6 bilhões neste ano de 2015. O secretário cita o exemplo das cirurgias eletivas, que já sofreram corte de 90%. O município de Goiânia recebia uma média de R$ 3,5 milhões por mês do Programa Nacional de Cirurgias Eletivas, mas foi avisado que esse valor pode ser para o ano inteiro. “Goiânia vinha figurando há dois anos como campeã na realização de cirurgias eletivas e mantendo uma fila de 10 mil pacientes. Sem esses recursos essa fila vai explodir”, prevê o secretário.

O Movimento Todos pela Saúde foi lançado em Goiânia no último dia 11 pela Secretaria Estadual de Saúde, e o secretário de Saúde de Goiânia, Fernando Machado, assinou a Carta de Goiás.  Fazem parte do movimento o Conselho Municipal de Saúde (CMS), Conselho Estadual de Saúde (CES/GO), Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems/GO), Central Única dos Trabalhadores (CUT/GO), Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Único de Saúde no Estado de Goiás (Sindsaúde/GO), Associação dos Hospitais de Alta Complexidade (AHPACEG) e Associação dos Hospitais do Estado de Goiás do Estado de Goiás (AHEG).

Mobilização para o Todos pela Saúde
Data: 18 de novembro, quarta-feira
Local: Escola Municipal de Saúde Pública (Avenida T-10, nº 1.030, Setor Bueno – em frente à Faculdade Araguaia)

Da Folha Geral, em Salvador*

*Com colaboração de (agência, assessoria ou especialista)

Conheça os participantes do Concurso Miss & Mister São Paulo 2016

Primeira Conferência Municipal dos Direitos Humanos acontece na próxima semana